A Caminhada

Os canídeos em seu habitat caminham sempre, estão em constante movimento, chamamos isso de migração, pois assim conseguem comida, água, abrigo, parceiros e exploram novos territórios.
Esse deslocamento tem uma estrutura, o líder os conduz por todo o trajeto, pode ser o macho alpha ou a matriarca da matilha/alcateia.
Caminhar a frente do cão permite que ele o veja como líder da matilha, mesmo que essa matilha seja formado apenas por você e seu cão.
passeioSe não aprender a dominar a caminhada, nunca terá uma relação equilibrada, no qual buscamos sua liderança em relação ao cão. A caminhada é 80% da relação estabelecida entre líder e seguidor.
O principal é que os animais amam migrar, viajar, para explorar o mundo, algumas espécies rastejam, outras voam, alguns nadam e os cães andam. Este é um princípio básico para se ter um cão equilibrado, a caminhada é uma necessidade primaria.
O passeio por si só retira o estresse dos cães, quebra o tédio, diminui sua ansiedade e agressividade.
Por isso, o passeio que deveria ser um momento prazeroso, se torna um caos, pois as pessoas não atendem essa necessidade básica e quando o fazem o cão está em um estado mental tão frustrado que quer conhecer o mundo inteiro em poucos minutos, o que gera muito desconforto para ambos.
E neste momento cria-se um ciclo vicioso: Os cães se comportam mal por que não passeiam com seus donos, e não passeiam com seus donos por que se comportam mal.
O que queremos é criar um ciclo virtuoso: Os cães se comportam bem porque passeiam com seus donos, e passeiam com seus donos porque se comportam bem.
Os cães que nunca saem, quando saírem irá lutar para dominar a caminhada, e quando o donos tentam disciplinar eles não prestarão atenção, pois tudo é muito novo, e com tanta novidade, haverá grande excitação e empolgação, e eles simplesmente não ouvirão, pois não sabem quando isso vai acontecer de novo.
Quando há regularidade nos passeios, a caminhada é o acesso para estar equilibrado e conectado com a natureza, com seus donos e com toda estrutura criada durante os passeios.
Assim um simples passeio permite controlar qualquer tipo de raça, qualquer tipo de cão.E como estamos falando de Psicologia Canina, os passeios são cercados de rituais que devem ser seguidos de perto para manter seu cão calmo e equilibrado.
Ao pegar a guia/coleira evite frases que vão deixar seu cão cada vez mais ansioso e empolgado para sair, como: “Vamos passear!”.
Seu cão já conhece o ritual do passeio, então não precisa estimula-lo ainda mais neste momento. Se a colocação da guia/coleira for agitado o passeio será frenético.
Nunca vá em direção do seu cão para colocar a guia/coleira, lembre-se se estamos criando estratégias para liderar nosso cão, não faz sentido sair correndo atrás dele (como um seguidor) para colocar uma ferramenta que fará bem pra ele mesmo.
Antes de mais nada, mantenha a calma, abaixe-se e espere (o tempo que for necessário) para que ele venha até você (se o cão não vir porque não tem nenhum controle sobre ele, use um petisco para atrai-lo e ensina-lo que há benefícios quando você o chama), daí em diante apenas quando ele estiver calmo e submisso, é que colocará a guia/coleira de forma tranquila e sem os pulos e latidos empolgados.
Se a colocação da guia/coleira for tranquila, seu controle sobre o cão durante os passeios só irão melhorar com o tempo.
A guia deve estar ajustada atrás da cabeça, e não no pescoço. A guia deve andar sempre relaxada, para não asfixia-lo.
Para saber se o cão está andando adequadamente com você, observe se ele está com a cabeça na altura da sua coxa. Ele nunca deve ir à sua frente, sempre ao seu lado ou atrás de você. Afinal quem está levando quem pra passear? Observe também sua postura, seus braços devem permanecer relaxados e não no ângulo de 90° em relação ao seu corpo. Pratique e tenha um bom passeio.

Jean Cloude
Especialista em Psicologia Canina

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *