O primeiro sutiã a gente nunca esquece

IMG_3431A primeira vez de qualquer experiência marcante é algo que a gente não esquece. Tive diversas oportunidades de primeiras vezes em meu trabalho e muitas marcaram definitivamente a minha vida.

Recentemente tive a oportunidade de ir pescar no Chile. Mais exatamente no norte da Patagônia Chilena, na região dos lagos. Esta região não possui peixes nativos atraentes, porém a mais de trinta anos foram introduzidos salmonídeos, trutas e salmões peixes originários do hemisfério norte que se adaptaram perfeitamente aos rios frios e cristalinos das montanhas desta região.

IMG_3443Chegamos ali cobertos de expectativas, já tinha ouvido falar desta região e dos seus salmões rei. Assim que chegamos depois de 50 minutos de voadeira do hotel e mais quase três horas a cavalo, não perdi tempo e fui diretamente pescar até porque sabia que iria chover pelos próximos dois dias e queria a chance de pescar um salmão à luz do sol.

Já era tarde, cerca de quatro horas da tarde e, apesar de no Chile amanhecer e entardecer tarde, as altas montanhas que cercavam o local iriam abreviar a luz solar. Desta forma tinha pressa.

Por casualidade, o nosso guia de pesca ainda não tinha chegado ao local e fomos Daniel, meu cinegrafista, e eu, para o local mais indicado, o “pozo de los Chinnok”. A água era tão límpida que era possível enxergar os gigantes no fundo da água. Comecei a arremessar as iscas artificiais mas os caras pareciam não se interessar. Estava na época reprodutiva dos salmões e os caras nessa época normalmente não se alimentam, mas são extremamente territorialistas e agressivos. Contava com isso. Troquei de iscas pelo menos duas vezes e, de repente, ele veio. Agarrou a isca com vontade e lutei por uns bons três minutos para deixar o cara cansado a ponto de trazê-lo para a beira do rio e poder mostrá-lo.

IMG_3404Nunca tinha visto um salmão selvagem, inteiro desta forma, quero dizer com isso que quando as pessoas comem alguns peixes como o salmão, o pirarucu e o bacalhau por exemplo, sequer conhecem como se parece o animal, pois já são vendidos em filés. E o salmão é um peixe de cara bem diferente.

Ficamos os próximos três dias no local pescando, desta vez contando com a ajuda do guia de pesca e não tivemos outro salmão chinnok que mordesse a isca. Ou seja, tive a sorte da oportunidade.
Jamais vou esquecer deste meu primeiro e único salmão chinook do lago traidor, região dos lagos no norte da patagônia argentina.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *