Salvem os Rinocerontes

salvem-rinosserontesEu sempre fui apaixonado por rinocerontes. Confesso que é difícil dizer qual é o meu bicho predileto, já que consigo observar a beleza em diferentes animais.

O meu conceito de beleza é bastante particular e muitas vezes não corresponde aos valores que a maioria observa. Rinocerontes são animais de proporções jurássicas e apesar de sua força descomunal são extremamente pacatos. É só olhar nos olhos de um bicho destes que pode chegar a 3 toneladas e perceber que são amáveis.

Porém, uma recente onda de caça desaparecida há tempos voltou a ameaçar estes doceis gigantes.  Em 2008 cerca de 14 rinocerontes foram caçados na África do Sul, país que abriga cerca de 80% de toda população de rinocerontes do continente africano. Em 2009, graças ao pronunciamento de um membro do governo do Vietnã que alegou ter sido curado de câncer graças a um composto que continha cornos de rinocerontes, o número destes animais abatidos cresceu para mais de 300, e ano passado, em 2011 passou de 440 indivíduos e desde lá beira 1.000 animais por ano, um massacre. Temos que lembrar que existem cerca 22.000 rinocerontes brancos e 4.000 negros em toda África.

Helicóptero decola em busca dos rinocerontes

Fomos convidados em 2011 a participar de uma atividade conservacionista muito interativa lastreada no turismo ao norte da África do Sul, na fronteira com Botswana, que consiste em uma operação que envolve helicópteros, veterinários, staff de reservas e turistas com o objetivo de colocar um microchip no corno de dois rinocerontes além de coletar amostras de DNA e realizar marcação individual.

Uma proposta irrecusável e imperdível e nossa equipe foi ao Game Reserve Madiqwa para participar deste trabalho em conjunto com o pessoal de lá. Esta é uma das medidas tomadas para evitar e/ou dificultar o comércio ilegal destes cornos.

Acampamos no local e logo cedo, antes de amanhecer, já estávamos a caminho do local de onde partiria o helicóptero. Coloquei uma câmera no aparelho que o veterinário responsável pela sedação carregava e o piloto e lá fomos nós acompanhando por terra.

Após um curto voo, encontramos um grupo de 3 rinocerontes e o veterinário acerta um deles com um dardo de sedativo

Em menos de dez minutos recebemos um rádio de outros helicópteros, que afirmaram  que o dardo anestésico já havia sido atirado em um macho jovem. Em menos de 3 minutos chegamos ao local da ação e o rhino já estava deitado. Um momento sublime de total interação com este bicho incrível. Enquanto acompanhávamos o trabalho do pessoal da reserva eu aproveitava para tocar o animal, sentir sua respiração, seus dentes … Em poucos minutos a operação estava completa e o veterinário aplicou um reversor na orelha do “cara”, que em poucos segundos já se levantava. Olhou para um lado, para outro, andou uns passos para frente, virou a cabeça completamente – nos observando – e foi-se trotando. Incrível!!!

O segundo “cara”, outro branco, foi melhor ainda pois chegamos ao local poucos segundos depois do dardo ser atirado e o rhino – uma fêmea desta vez – , ainda estava em pé, cambaleando e trotando descordenadamente. Ajudamos o bicho a deitar e outra vez tivemos a oportunidade única de estar ao lado de um dos maiores mamíferos terrestres do planeta.

Equipe acompanha rinoceronte, que sedado, permite a aproximação

A maior parte das vezes em que realizamos um trabalho como este, que pretende combater e inibir a caça e extinção de animais, nós não temos a dimensão exata do que estamos falando, apenas relatamos números. Porém, desta vez nossa equipe foi surpreendida por “um raio que nos acertou na cabeça”, já que na mesma manhã em que estávamos realizando este trabalho, um rinoceronte negro foi abatido por caçadores no mesmo parque em que estávamos, com um tiro de fuzil na cabeça e seu corno foi arrancado. Estes cornos serão levados para os mercados Asiáticos e usados na medicina chinesa. Ou nas adagas de homens “de respeito” do Yemen e/ou como medicamento no Vietnã.

Observa cabeça de rinoceronte negro decepada e que teve o corno arrancado

Nossa equipe chorou…

Infelizmente ao voltar ao continente africano agora em final de 2014 percebemos que a situação não mudou…rinocerontes continuam sendo mortos e os governos fazem de conta que não é com eles!!!! Estamos permitindo que estes animais sejam levados a números tão reduzidos que não haverá mais variabilidade genética que permita sua sobrevivência.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *